Nome: Marília
Idade: 20
Signo: Escorpião
Cor: Verde
*A simplicidade embelza a beleza*
Baudelaire


.: Empoeirados :.

- 01/04/2009 a 30/04/2009
- 01/09/2008 a 30/09/2008
- 01/07/2008 a 31/07/2008
- 01/06/2008 a 30/06/2008
- 01/05/2008 a 31/05/2008
- 01/02/2008 a 29/02/2008
- 01/01/2008 a 31/01/2008
- 01/12/2007 a 31/12/2007
- 01/11/2007 a 30/11/2007
- 01/10/2007 a 31/10/2007
- 01/08/2007 a 31/08/2007
- 01/07/2007 a 31/07/2007
- 01/06/2007 a 30/06/2007
- 01/05/2007 a 31/05/2007
- 01/04/2007 a 30/04/2007
- 01/03/2007 a 31/03/2007
- 01/02/2007 a 28/02/2007
- 01/01/2007 a 31/01/2007
- 01/12/2006 a 31/12/2006
- 01/11/2006 a 30/11/2006
- 01/10/2006 a 31/10/2006
- 01/09/2006 a 30/09/2006
- 01/08/2006 a 31/08/2006
- 01/07/2006 a 31/07/2006
- 01/06/2006 a 30/06/2006
- 01/02/2006 a 28/02/2006
- 01/11/2005 a 30/11/2005
- 01/07/2005 a 31/07/2005
- 01/05/2005 a 31/05/2005
- 01/04/2005 a 30/04/2005
- 01/01/2005 a 31/01/2005
- 01/12/2004 a 31/12/2004
- 01/11/2004 a 30/11/2004
- 01/10/2004 a 31/10/2004
- 01/09/2004 a 30/09/2004
- 01/07/2004 a 31/07/2004
- 01/06/2004 a 30/06/2004
- 01/05/2004 a 31/05/2004
- 01/04/2004 a 30/04/2004
- 01/03/2004 a 31/03/2004
- 01/02/2004 a 29/02/2004
- 01/01/2004 a 31/01/2004

 


.: Outros sites :.

- MariliaAlves on deviantART
- Chão de Giz
- Merci Beaucoup
- Rosa Atômica
- Lemúrias
- Ponto de Fuga
- Thay Star
- Alê Carmani
- Granolla
- Hi_ato
- Vê Gelesson
- Reitano
- Lis Morila
- Fiacadori
- Bonamigo
- bLaV 2007 - a revolução dos bichos
- Effe
- Para.nóia Paulistana
- Asilo Multiply
- Blav Multiply
- Malu e a valisè das metáforas
- Pilar Bosia
- Vinicius Nakamura


.: Votação :.

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Visitante Número

.: Créditos :.

Dream Melody Layouts

Carne e Osso

A alegria do pecado
Às vezes toma conta de mim
E é tão bom não ser divina
Me cobrir de humanidade me fascina
E me aproxima do céu

E eu gosto
De estar na terra
Cada vez mais
Minha boca se abre e espera
O direito ainda que profano
Do mundo ser sempre mais humano

Perfeição demais
Me agita os instintos
Quem se diz muito perfeito
Na certa encontrou um jeito insosso
Pra não ser de carne e osso
Pra não ser carne e osso

[Zélia Duncan e Moska]



~~~~~ DoN't WoRrY, bE hApPy ~~~~~

      

°°°  O FIM DO MUNDO °°°
         (Cecília Meireles)

         A primeira vez que ouvi falar no fim do mundo, o mundo para mim não tinha nenhum sentido, ainda; de modo que não me interessavam nem seu começo nem o seu fim. Lembro-me porém, vagamente, de umas mulheres nervosas que choravam, meio desgrenhadas, e aludiam a um cometa que andava pelo  ceu, responsável pelo acontentecimento que elas tanto temiam.
         Nada disso se entendia comigo: o mundo era delas, o cometa era pra elas: nós, crianças, existíamos apenas para brincar com as flores da goiabeira e as cores do tapete.
         Mas, uma noite, levantaram-me da cama, enrolada num lençol, e, estremunhada, levaram-me à janela para me apresentare á força ao temível cometa. Aquilo que até então não me interessava nada, que nem vencia a preguiça dos meus olhos, pareceu-me de repente, maravilhoso. 
         Era um pavão branco, pousado no ar, por ciam dos telhados? Era uma noiva, que caminhava pela noite, sozinha, ao encontro de sua festa? Gostei muito do cometa. Devia sempre haver um cometa no céu, como há lua, sol, estrelas. Por que as pessoas andavam tão apavoradas? A mim não me causava medo nenhum.
         Ora, o cometa desapareceu, aqueles que choravam enxugaram os olhos, o mundo não se acabou, talvez tenha ficado um pouco triste - mas que importância tem a tristeza das crianças?
         Passou-se muito tempo. Aprendi muitas coisas, entre as quais o suposto sentido do mundo. Não duvido de que o mundo tenha sentido. Deve ter mesmo muitos, inúmeros, pois em redor de mim as pessoas mais ilustres e sabedoras fazem cada coisa que bem se vê um sentido do mundo peculiar a cada um.
         Dizem que o mundo termina em fevereiro próximo. Ninguém fala em cometa, e é pena, porque eu gostaria de tornar a ver um cometa, para verificar se a lembrnça que conservo dessa imagem do céu é verdadeira ou inventada pelo sono dos meus olhos naquela noite já muito antiga.
        O mundo vai acabar, e certamente saberemos qual era o seu verdadeiro sentido. Se valeu a pena que uns trabalhassem tanto e outros e outros tão pouco. Po que fomos tão sinceros ou tão hipócirtas, tão falsos ou tão leais. Por que pensamos tanto em nós mesmo ou só nos outros. Por que fizemos votos de pobreza ou assaltamos cofres públicos - além dos particulares. Por que mentimos tanto, com palavras tão judiciosas. Tudo isso saberemos e muito mais do que cabe inumerar numa crônica.
        Se o fim do mundo for mesmo em fevereiro, convém pensarmos desde já se utilizamos este dom de viver de maneira mais digna.
        Em muitos pontos da Terra, há pessoas, neste momento, pedindo a Deus - dono de todos os mundos - que trate com benignidade as criaturas que se preparam para encerrar a sua carreira mortal. Há mesmo alguns místicos - segundo leio - que, na Índia, lançam flores ao fogo, um rito de adoração.
       Enquanto isso, os planets assumem os lugares que lhes competem, na ordem do universo, neste universo de enigmas a que estamos ligados e no qual por vezes nos arrogamos posições que não temos - insignificantes que somos, na tremenda grandiosidades total.
        Ainda há uns dias para reflexão e o arrependimento: por que não os utilizaremos? Se o fim do mundo não for em fevereiro, todos termos fim, em qualquer mês...

 "Pessoas passam por mim pra pegar o metrô, confundo a vida ser um longametragem e o diretor segue seu destino de cortar as cenas"... e se a vida é mesmo um filme, quase nunca tem o final esperado, e não é por isso que o final não pode ser, de alguma forma, feliz. Pq sim, é fato. Tudo na vida tem um lado feliz.
A Pollyana ganhou muletas no lugar da boneca que tanto esperou e ela ficou contente por não precisar das muletas. Eu fico feliz por ficar tudo bem quando termina bem. Por que eu também não preciso de muletas, nem de outras pernas pra caminhar, senão as minhas. E agora não preciso mais me questionar, duvidar, querer saber aonde você estava aquele dia em que só seu corpo estava ali do meu lado.
Mas é estranho como pode, a gente ás vezes não se sentir completo.
E como nada é pra sempre, nada mesmo... me pergunto até se seja, o amor, pra sempre... Sei que essa sensação de lua minguante há de passar. Semana que vem... amanhã... E quem sabe, depois, ainda se possa olhar pra trás e sorrir ao lembrar, sem nenhuma emoção.

Esses dias têm sido vazios, ou cheios de coisas que eu não sei o que são. Férias intermináveis, sem cores. E sinto uma imensa saudade de alguma coisa e imensa vontade de não sentir mais mágoa das pessoas que eu julguei por algum tempo, que julguei terem me magoado sem me perguntar o que eu poderia ter feito a elas tbm. Existiram sim, alguns machucados... mas não é bonito nem bom carregar isso comigo, pesa demais. Meu orgulho, meu apego, o ar de criança que exibe a perna enfaixada com orgulho.. nada disso me serve mais...
Eu não quero mais imaginar que não sou ou nunca fui importante na vida dessas pessoas. Eu não quero!
*Na vida eu apanho, outras vezes eu bato, mas trago a minha blusa aberta e uma rosa em botão*
Agora não adianta mais explicar porque fiz aquilo, ou tentar entender pq os outros fizeram. E se meu msn me permitisse falar com as pessoas e mostrar a elas que aquela dor já passou. Elas seriam indiferentes ou sorririam lá do outro lado da tela, como eu sorriria se eelas me falassem tbm...
Ninguém pode passar despercebido por nossa vida? ou pode? Há algumas pessoas que passaram por mim e que hoje são quase nada. Lembro delas às vezes e seria isso suficiente para dizer que elas não passaram despercebidas?... Enquanto outras deixam marcas tão profundas que é quase impossível imaginar a vida sem a presença delas.
Quanto a mim, gostaria de ter a certeza de que sou responsável por alguém. Mas isso ainda não passou: a minha insegurança, a mania de me diminuir, a desconfiança que me acompanha ha tanto tempo, que já me fez pensar que abdusiram minha irmã e que aquilo ali na cama ao lado era uma espiã extra terrestre no lugar dela. E então, será que tudo passa mesmo?... O tempo dirá...
E é melhor não me ocupar disso. Se o mundo acabar em fevereiro, continuarei sem saber e não fará diferença. 

[É ISSO... E É TUDO!]



- Enviado por: ...:¨°Mä®í£¡ä°¨:... às 14h56
[ ] [ envie esta mensagem ]

_________________________________________